O melhor é prevenir um possível problema, do que consertá-lo certo? Sim! Contudo, mesmo com todas as vistorias e verificações em dia, estamos sujeitos a defeitos e imprevistos. E nessa hora, quando algum equipamento ou estrutura para de funcionar, é que entra em ação a Manutenção Corretiva.

Já dissemos que é sempre melhor prevenir do que remediar, certo? Porém, quando um equipamento ou estrutura apresenta problemas, e não podemos lançar mão da manutenção preventiva, o ideal é recorrer à manutenção corretiva.

Pode parecer óbvio, mas esse tipo de procedimento exige planejamento, técnica e costuma gerar custos elevados para uma construtora, por exemplo.  

Vamos entender um pouco mais sobre a manutenção corretiva? Leia a seguir alguns pontos importantes.

Entendendo a manutenção predial 

Antes de entrar nos conceitos e técnicas sobre a manutenção corretiva, vamos conversar sobre a manutenção predial. Como o próprio nome sugere, ela é um conjunto de processos que pretende manter um prédio, independentemente do tamanho, em bom estado durante e depois da sua construção.  

Apesar das boas práticas de conservação e cuidados com uma edificação, é inevitável que materiais, máquinas e equipamentos se desgastem com o tempo e com o uso. Na maioria dos casos, isso pode ser evitado com procedimentos de manutenção, principalmente as preventivas.  

Duas das principais vantagens da manutenção predial é a redução de custos e o aumento da produtividade, principalmente das máquinas e equipamentos.

Entenda como funciona a manutenção corretiva 

É a manutenção para correção de falhas. Ela pode acontecer durante a manutenção preventiva ou em situações de emergência, para a reparação de danos, erros e situações que possam comprometer o funcionamento de equipamentos e a utilização de ambientes. 

A manutenção corretiva, de modo geral, não é feita de forma programada e pode gerar mais gastos do que a preventiva e preditiva. Por isso, caso opte por essa modalidade, pode ser que você tenha um impacto considerável na produção, peças de reposição e aumento de gastos. 

Quais os tipos de manutenção corretiva? 

A manutenção corretiva não é feita somente quando algo urgente acontece. Entenda melhor todas as etapas dessa modalidade: 

Riscos de não ter uma estratégia de manutenção 

Entre os vários problemas que pode acarretar o uso de equipamentos e ambientes que não estejam nas melhores condições estão: 

Um bom planejamento é fundamental 

O planejamento será sempre a melhor prevenção. Se o seu objetivo é entregar o melhor produto para o seu cliente, é recomendável que você tenha um bom plano de manutenções, principalmente no pós-obra. Isso fará toda a diferença na entrega final.  

Ter uma gestão de facilities, por exemplo, focada no pós-venda da construção civil, é um grande diferencial de mercado, pois você garante a qualidade da prestação de serviços desde o começo da obra até a utilização da edificação.  

Dica: considere a terceirização dos serviços para garantir a qualidade das suas entregas e a satisfação do seu cliente. 

Para manter uma gestão de facilidades e otimizar a rotina de manutenções, você precisa contar com bons prestadores de serviços. A dica, portanto, é que você conheça o SaaS do Service Sol.

A nossa solução facilita a gestão de processos, a abertura de chamados e a organização da manutenção da forma mais simples e organizada. Oferecemos profissionais (terceirizados) preparados para atuar com qualidade, rapidez e eficiência.  

Conclusão 

Como você viu, a manutenção corretiva pode e deve ser usada como uma ferramenta estratégica, aliada a um planejamento que envolva a prevenção. Sendo assim, o mais aconselhável é criar um plano de manutenções e contar com a ajuda de profissionais capacitados para a execução do programa traçado. 

Entre em contato conosco e conheça o serviço de controle de chamados do Service Sol. Teremos uma grande satisfação em tirar as suas dúvidas. 

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *